Pular para o conteúdo principal

Basta se esforçar que você chega lá

Eu li este post no site Papo de Homem e achei que seria bacana compartilhar aqui...

Basta se esforçar que você chega lá

Privilégios sociais às vezes são difíceis de reconhecer, especialmente se é você que desfruta deles.

Sem dedos apontados aqui, eu mesmo expresso falas que são pura cegueira e falta de empatia. 
A verdade é que, se você não tem algum parâmetro para fazer uma comparação mais acurada, acaba achando que a sua vida é o padrão, ou que o que você possui, a forma como é impulsionado pelas pessoas, como é aceito ou rejeitado nos grupos sociais, é apenas fruto de talento e esforço.
Afinal, se você conseguiu, todo mundo consegue, não?
Depende. Essa é uma discussão longa e repleta de lados. Há os que dizem que sim e há quem diga que não, cada um com seu argumento.
Longe de mim querer definir o certo e o errado, mas aqui temos algo que talvez possa aumentar o contraste sobre as nuances dessa questão.
Essa tirinha é do ilustrador australiano Toby Morris e foi traduzida pelo catavento*.

01-pt
02-pt
03-pt
04-pt
Boas histórias têm uma qualidade fantástica: elas baixam nossas defesas e simplesmente colocam as coisas na nossa frente de tal forma que é como se tivessem sido injetadas direto na veia.
Sempre que vejo um filme, livro, música ou qualquer outra forma de arte capaz de nos fazer pensar em uma situação que não está clara, fico maravilhado, me dá uma invejinha. 
Algo assim acontece com essa tirinha. Ela expressa de uma maneira bem forte de que forma diferentes oportunidades podem impactar sobre o que cada um espera da vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!

Resolvi voltar a escrever e quero voltar com um apelo: Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!
Tenho visto muita frescura ultimamente nas Redes Sociais e até concordo que a galerinha jovem de hoje ache tudo chato e errado e que qualquer tipo de zoeira seja politicamente incorreta (eles não tiveram a TV Globinho, Chaves e as séries que passavam depois do Bom dia e Cia no SBT para educá-los), o que eu não concordo é o fato de pessoas com mais de 28 anos de idade entrarem nessa ondinha de que tudo é preconceito, ou machismo, ou bullying, ou sei lá mais o que…
Recentemente passei por isso no Facebook, onde fiz uma postagem (totalmente inocente) e fui chamado de machista… Eis os comentários: “Quer dizer que você é machista” “Não esperava isso de você” “Só o preconceito que não muda”… Além dos emoticons zangados. Eu machista? Cara, eu lavo louça em casa e cozinho.
O que é que tá acontecendo com você? Você fez tudo isso nos tempos de escola e sofreu tudo isso também e sobrevive…

Do seu ou do meu jeito? / Homem X Mulher

Ele - Eu prefiro fazer assim! Ela - Mas assim é errado... Porque você não faz desse jeito? Ele - Porque demora... Ela - Mas é o jeito certo de fazer. Ele - Você quer que eu faça? Ela - Quero!!! Ele - Então me deixa fazer do meu jeito... Além de fazer quer exigir... Ela - É... Eu sei, mas se é pra fazer errado é melhor nem fazer... Ele - Então você quer eu pare de fazer? Ela - Não, eu quero que você faça, mas que faça certo! Ele - Vou fazer do meu jeito primeiro, se não der certo eu faço do seu. Pode ser? Ela - Hum... Sei não viu... Acho que fazendo do seu jeito, que é o jeito errado, não vamos poder corrigir, já que eu tenho certeza que vai dar errado. Ele - Como você é insuportável!!! Acredite no meu jeito de fazer as coisas, por favor... Ela - Já fiz isso antes – não se lembra? – deu errado! Ele - Se ao invés de discutir, tivéssemos fazendo do meu jeito, com certeza já estaria pronto. Ela -Vai lá então. Faça do seu jeito... Ela - Até que enfim... Olha só... E... ... ... Tá certo. Vamos fazer do seu…

36 perguntas para duas pessoas estranhas se apaixonarem

Para além da química e do destino, há pesquisadores que acreditam na possibilidade de dissecarmos os sentimentos de intimidade e atração
Suponha que duas pessoas não se conheçam e elas, por algum motivo, desejem se aproximar romanticamente. 
Alguns vão dizer que a tentativa depende das estrelas, outros vão defender feromônios e há aqueles que talvez acreditem na mais pura sorte.
Em 1995, o psicólogo e pesquisadorArthur Aronconduziu um experimento para testar um método prático que induzisse duas pessoas a se sentirem íntimas. O processo foi realizado com estudantes de psicologia que, sentados em uma sala confortável, receberam três pacotes com uma série de perguntas e a instrução de que o experimento seria uma espécie de jogo agradável, cuja intenção era apenas fazer com que se aproximassem.
O Dr. Aron nos diz em seu estudo que "um padrão chave no desenvolvimento de um relacionamento de proximidade entre duas pessoas é a contínua, crescente, recíproca e íntima abertura.".
Para est…