Pular para o conteúdo principal

Mal humorados


Estávamos todos mal humorados naquele dia. Não sabíamos por quê. Tínhamos tudo o que precisávamos: café, chocolate, biscoitos... Mas tínhamos também o mau humor.

Tomamos um café, conversamos um pouco e o mau humor continuava. Depois tomamos um chocolate quente, comemos alguns biscoitos, mas nada do mau humor desaparecer.
Abrimos o Facebook, curtimos algumas fotos no Instagram, vimos diversos vídeos engraçados no Youtube... E nada!

Decidimos contar piadas, até assistimos alguns episódios online de Os Simpsons e mesmo assim não encontrávamos um bom motivo para ficarmos de bom humor...
Alguém sugeriu tentar trabalhar – Mas que ideia estúpida!!! Mas poderia funcionar... Após dois minutos tentando, percebemos que ficamos mais mal humorados ainda.


Alguns de nós pareciam zumbis. Caminhávamos pelos corredores da empresa sem direção. Decidimos matar hora, mas a hora não passava. Cinco minutos pareciam durar horas! Afinal, o que era aquilo? Por que o tempo não passava? Por que tudo o que fazíamos naquele dia não nos motivava? Parecia até que era... Oh meu Deus... Só poderia ser... Realmente era... Era segunda-feira... Por isso estávamos todos mal humorados.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!

Resolvi voltar a escrever e quero voltar com um apelo: Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!
Tenho visto muita frescura ultimamente nas Redes Sociais e até concordo que a galerinha jovem de hoje ache tudo chato e errado e que qualquer tipo de zoeira seja politicamente incorreta (eles não tiveram a TV Globinho, Chaves e as séries que passavam depois do Bom dia e Cia no SBT para educá-los), o que eu não concordo é o fato de pessoas com mais de 28 anos de idade entrarem nessa ondinha de que tudo é preconceito, ou machismo, ou bullying, ou sei lá mais o que…
Recentemente passei por isso no Facebook, onde fiz uma postagem (totalmente inocente) e fui chamado de machista… Eis os comentários: “Quer dizer que você é machista” “Não esperava isso de você” “Só o preconceito que não muda”… Além dos emoticons zangados. Eu machista? Cara, eu lavo louça em casa e cozinho.
O que é que tá acontecendo com você? Você fez tudo isso nos tempos de escola e sofreu tudo isso também e sobrevive…

Do seu ou do meu jeito? / Homem X Mulher

Ele - Eu prefiro fazer assim! Ela - Mas assim é errado... Porque você não faz desse jeito? Ele - Porque demora... Ela - Mas é o jeito certo de fazer. Ele - Você quer que eu faça? Ela - Quero!!! Ele - Então me deixa fazer do meu jeito... Além de fazer quer exigir... Ela - É... Eu sei, mas se é pra fazer errado é melhor nem fazer... Ele - Então você quer eu pare de fazer? Ela - Não, eu quero que você faça, mas que faça certo! Ele - Vou fazer do meu jeito primeiro, se não der certo eu faço do seu. Pode ser? Ela - Hum... Sei não viu... Acho que fazendo do seu jeito, que é o jeito errado, não vamos poder corrigir, já que eu tenho certeza que vai dar errado. Ele - Como você é insuportável!!! Acredite no meu jeito de fazer as coisas, por favor... Ela - Já fiz isso antes – não se lembra? – deu errado! Ele - Se ao invés de discutir, tivéssemos fazendo do meu jeito, com certeza já estaria pronto. Ela -Vai lá então. Faça do seu jeito... Ela - Até que enfim... Olha só... E... ... ... Tá certo. Vamos fazer do seu…

36 perguntas para duas pessoas estranhas se apaixonarem

Para além da química e do destino, há pesquisadores que acreditam na possibilidade de dissecarmos os sentimentos de intimidade e atração
Suponha que duas pessoas não se conheçam e elas, por algum motivo, desejem se aproximar romanticamente. 
Alguns vão dizer que a tentativa depende das estrelas, outros vão defender feromônios e há aqueles que talvez acreditem na mais pura sorte.
Em 1995, o psicólogo e pesquisadorArthur Aronconduziu um experimento para testar um método prático que induzisse duas pessoas a se sentirem íntimas. O processo foi realizado com estudantes de psicologia que, sentados em uma sala confortável, receberam três pacotes com uma série de perguntas e a instrução de que o experimento seria uma espécie de jogo agradável, cuja intenção era apenas fazer com que se aproximassem.
O Dr. Aron nos diz em seu estudo que "um padrão chave no desenvolvimento de um relacionamento de proximidade entre duas pessoas é a contínua, crescente, recíproca e íntima abertura.".
Para est…