Pular para o conteúdo principal

Faça um planejamento financeiro que realmente funcione


Ninguém quer viver seguindo planilhas. Nem contar quantos pães de queijo vai comprar na padaria. Nem deixar de se vestir bem, de ter uma casa confortável e de cometer uma extravagância de vez em quando.
O que a gente quer é viver sem se preocupar tanto com o preço.
Nesse embate entre controle e gasto, vamos oscilando entre algumas posturas: as vezes nos aproveitamos do charme de dizer “não ligo para dinheiro”, outras vezes (por uma semana ou duas) começamos a anotar todos os nossos gastos, bala por bala, outras vezes, medrosos e sem espaço para simplesmente parar, nos recusamos a olhar para o extrato bancário.
Uma parte bem grande da nossa repulsa por planejamento surge a partir de um grande mal entendido. Se planejar não é contar centavo por centavo, nem anotar tudo num aplicativo de celular. Se planejar é saber o que é importante para você, e colocar sua energia nessa direção. E por energia, me refiro a tempo, atenção, dinheiro, enfim, todos os recursos finitos que manipulamos todos os dias.
O melhor a fazer é separar um tempo para pensar sobre dinheiro, para não precisar se preocupar com ele o tempo todo.
ire o dia para revirar o bolso e se planejar. Como essa semana vai ser, financeiramente? Como o mês vai terminar?
Use isso como um primeiro passo para começar a se planejar financeiramente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!

Resolvi voltar a escrever e quero voltar com um apelo: Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!
Tenho visto muita frescura ultimamente nas Redes Sociais e até concordo que a galerinha jovem de hoje ache tudo chato e errado e que qualquer tipo de zoeira seja politicamente incorreta (eles não tiveram a TV Globinho, Chaves e as séries que passavam depois do Bom dia e Cia no SBT para educá-los), o que eu não concordo é o fato de pessoas com mais de 28 anos de idade entrarem nessa ondinha de que tudo é preconceito, ou machismo, ou bullying, ou sei lá mais o que…
Recentemente passei por isso no Facebook, onde fiz uma postagem (totalmente inocente) e fui chamado de machista… Eis os comentários: “Quer dizer que você é machista” “Não esperava isso de você” “Só o preconceito que não muda”… Além dos emoticons zangados. Eu machista? Cara, eu lavo louça em casa e cozinho.
O que é que tá acontecendo com você? Você fez tudo isso nos tempos de escola e sofreu tudo isso também e sobrevive…

36 perguntas para duas pessoas estranhas se apaixonarem

Para além da química e do destino, há pesquisadores que acreditam na possibilidade de dissecarmos os sentimentos de intimidade e atração
Suponha que duas pessoas não se conheçam e elas, por algum motivo, desejem se aproximar romanticamente. 
Alguns vão dizer que a tentativa depende das estrelas, outros vão defender feromônios e há aqueles que talvez acreditem na mais pura sorte.
Em 1995, o psicólogo e pesquisadorArthur Aronconduziu um experimento para testar um método prático que induzisse duas pessoas a se sentirem íntimas. O processo foi realizado com estudantes de psicologia que, sentados em uma sala confortável, receberam três pacotes com uma série de perguntas e a instrução de que o experimento seria uma espécie de jogo agradável, cuja intenção era apenas fazer com que se aproximassem.
O Dr. Aron nos diz em seu estudo que "um padrão chave no desenvolvimento de um relacionamento de proximidade entre duas pessoas é a contínua, crescente, recíproca e íntima abertura.".
Para est…

O Político e o Assessor

Um político e um assessor estão calmamente almoçando no restaurante quando:
– Você trancou a porta do comitê? Perguntou o político.
– Não! O senhor não trancou a porta? Perguntou o assessor.
Imediatamente ambos ficaram assustados e foram tomados pelo pânico e pelo pavor. Logo pensaram em como a cidade anda violenta e a criminalidade só crescendo… Isso não demorou muito, pois eles se olharam e por um instante estranharam aquela impulsiva e natural reação e logo caíram em si.
– Ufaaaa! Que susto o senhor me deu! … Não tem problemas! … Nós estamos aqui. Comentou o assessor.