Pular para o conteúdo principal

Postagens

Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!

Resolvi voltar a escrever e quero voltar com um apelo: Eu quero café e a volta do humor politicamente incorreto!
Tenho visto muita frescura ultimamente nas Redes Sociais e até concordo que a galerinha jovem de hoje ache tudo chato e errado e que qualquer tipo de zoeira seja politicamente incorreta (eles não tiveram a TV Globinho, Chaves e as séries que passavam depois do Bom dia e Cia no SBT para educá-los), o que eu não concordo é o fato de pessoas com mais de 28 anos de idade entrarem nessa ondinha de que tudo é preconceito, ou machismo, ou bullying, ou sei lá mais o que…
Recentemente passei por isso no Facebook, onde fiz uma postagem (totalmente inocente) e fui chamado de machista… Eis os comentários: “Quer dizer que você é machista” “Não esperava isso de você” “Só o preconceito que não muda”… Além dos emoticons zangados. Eu machista? Cara, eu lavo louça em casa e cozinho.
O que é que tá acontecendo com você? Você fez tudo isso nos tempos de escola e sofreu tudo isso também e sobrevive…
Postagens recentes

O Político e o Assessor

Um político e um assessor estão calmamente almoçando no restaurante quando:
– Você trancou a porta do comitê? Perguntou o político.
– Não! O senhor não trancou a porta? Perguntou o assessor.
Imediatamente ambos ficaram assustados e foram tomados pelo pânico e pelo pavor. Logo pensaram em como a cidade anda violenta e a criminalidade só crescendo… Isso não demorou muito, pois eles se olharam e por um instante estranharam aquela impulsiva e natural reação e logo caíram em si.
– Ufaaaa! Que susto o senhor me deu! … Não tem problemas! … Nós estamos aqui. Comentou o assessor.

Depilação masculina

Estava eu assistindo TV numa tarde de domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada o que fazer, pois no outro dia é segunda-feira, quando minha esposa deitou ao meu lado e ficou brincando com minhas “partes”. Após alguns minutos ela veio com a seguinte ideia: -Por que não depilamos seus ovinhos, assim eu poderia fazer “outras coisas” com eles! ! ! ! Aquela frase foi igual um sino na minha cabeça. Por alguns segundos fiquei imaginando o que seriam “outras coisas”. Respondi que não, que doeria… coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu não tive mais como negar. Concordei. Até porque estava curioso para fazer “outras coisas”.
Ela me pediu que ficasse pelado enquanto buscaria os equipamentos necessários para tal feito. Fiquei olhando para TV, porém minha mente estava vagando pelas novas sensações que só acordei quando escutei o beep do micro-ondas.
Ela voltou ao quarto com um pote de cera, uma espátula e alguns pedaços de plástico. Achei me…

O Zé Ruela

Era para ele ter a noite perfeita com Maria, mas o Zé Ruela não fez por merecer...

Maria havia preparado uma surpresinha para José: Ela passou meio período daquele dia no salão de beleza – até depilou-se. Comprou um vinho e preparou o jantar.
Estava tudo certo para aquela noite perfeita acontecer. Ela tomou um banho bem demorado e colocou AQUELA lingerie... Ascendeu uma vela para dar um clima, separou uma trilha sonora deFuck Music. Estava bem animadinha.


Ele já estava para chegar quando Maria lembrou: “Ah, o José gosta de Little Wing com o Skid Row, vou acrescentar!”.

Foi até o notebook dele e viu que o Facebook de José estava aberto com algumas mensagens suspeitas com uma tal de Marta:

- E aí, quando você vai me enviar aquelas fotinhas? - Ai... Péra aí... - Hum... Nossa... Como é gostosa…

Havia fotos de Marta nua de várias posições: deitada, de pé... quadradinho de oito? – Ela não acreditava naquilo.
Maria chorou, suspirou e engoliu o choro. Foi ao banheiro, lavou o rosto, retocou a maquiage…

Basta se esforçar que você chega lá

Eu li este post no site Papo de Homem e achei que seria bacana compartilhar aqui... Basta se esforçar que você chega láPrivilégios sociais às vezes são difíceis de reconhecer, especialmente se é você que desfruta deles.
Sem dedos apontados aqui, eu mesmo expresso falas que são pura cegueira e falta de empatia.  A verdade é que, se você não tem algum parâmetro para fazer uma comparação mais acurada, acaba achando que a sua vida é o padrão, ou que o que você possui, a forma como é impulsionado pelas pessoas, como é aceito ou rejeitado nos grupos sociais, é apenas fruto de talento e esforço. Afinal, se você conseguiu, todo mundo consegue, não? Depende. Essa é uma discussão longa e repleta de lados. Há os que dizem que sim e há quem diga que não, cada um com seu argumento. Longe de mim querer definir o certo e o errado, mas aqui temos algo que talvez possa aumentar o contraste sobre as nuances dessa questão. Essa tirinha é do ilustrador australiano Toby Morris e foi traduzida pelo catavento*.




Bo…

Ensaio fotográfico mostra como a discriminação, mesmo que de forma velada, tem consequências devastadoras para quem passa por isso todos os dias

Uma estudante de Antropologia da Universidade de Brasília (UnB) fotografou pessoas que transitavam pelo campus e pediu que elas posassem com frases preconceituosas que já ouviram: “Para uma negra, você é até bonita”, “Como você faz para lavar esse cabelo?”, “Você sabe ler?”, “Você tem sorte de ser negro, nem precisa estudar para passar no vestibular” Confira abaixo algumas fotos do ensaio:











Ela não disse adeus...

Ela acordou bem cedo naquele dia. Tomou um banho e quando estava vestindo seu uniforme de trabalho, viu-se olhando no espelho, admirando com alegria o tamanho de sua barriga. Ela estava com duas semanas de gravidez e era estranho porque aos nossos olhos ainda não tinha o que admirar em questão de tamanho. Coisas que só mãe sabe...
Ela tomou seu café da manhã com os pais que a abençoou quando se despediu – Até logo! – disse ela. Passou pelos mesmos lugares que passara todos os dias nos últimos 5 anos. Cumprimentou as mesmas pessoas. Admirou o mesmo sol. No trabalho estava tudo igual. Seus colegas eram os mesmos. Sua rotina foi a mesma...
Ao término do expediente o trajeto seria o mesmo, porém em direção oposta e sem o sol para admirar. Despediu-se de seus colegas de trabalho com um feliz “até logo!”, um deles disse – Cuida bem desse baby aí... – ela sorriu.
Seguiu segura por três esquinas e nunca mais foi vista. A maioria acredita que ela está morta e culpam o pai da criança que ela espera…